A desembargadora Marília de Castro Neves, acusada de caluniar pelas redes sociais a vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018, prestou depoimento no Tribunal Regional Federal da 2ª Região na manhã desta terça-feira (17).

"Eu não conheço ninguém do Comando Vermelho e não conheci a vereadora Marielle Franco. Eu apenas reproduzi um comentário infeliz", afirmou a desembargadora. "Eu não tive a intenção, como acredito que ninguém antes de mim que tenha falado isso, tenha tido intenção de ofender a vereadora", finalizou.

O procedimento durou 20 minutos e foi conduzido em cumprimento à carta do Superior Tribunal de Justiça, onde tramita a ação penal contra Marília, movida pela viúva e pela irmã de Marielle.

 

Marília de Castro Neves disse que não teve a intenção de ofender Marielle Franco e que apenas reproduziu informações que circulavam na internet mesmo sem ter provas. Ela ainda afirmou que se retratou pelas redes sociais.

Dias após o assassinato da vereadora do Psol, a desembargadora afirmou na internet que Marielle tinha ligação com criminosos e que foi eleita por uma facção criminosa.